OKRs e a sinergia estratégica como fator de sucesso de sua empresa

A partir de agora sua empresa é um time de futebol.

Quer ganhar o jogo? Então vem comigo!

Capturar

O campeonato disputado é o meio empresarial e todas partidas são contra grandes adversários concorrentes no mercado.

Os jogos são disputados e cada gota de suor é necessária. Disciplina, habilidade e capacidade não são os únicos fatores para levar a vitória. Nesse jogo empresarial é preciso ter liderança afiada, conhecimento técnico e principalmente uma metodologia vencedora (a famosa estratégia de jogo).

O vencedor? Não só conquista o jogo, mas também os clientes. A cada partida vitoriosa, maior é o número de torcedores a favor do seu time e maior a taxa de fidelização dos clientes.

O time? É composto pelas áreas da sua empresa, Produção, Qualidade, Marketing, Vendas, Financeiro, RH e Gestão. Formando assim o time da organização.

Ilustrações OKR (1)

O objetivo? É vencer!

O jogo tem que ser disputado com ética e respeito, mas o foco final é o resultado. A forma do seu time jogar deve ser focada em resultados mantendo a excelência.

Os jogos são mais disputados hoje em dia

De acordo com pesquisas feitas no mundo do futebol, hoje em dia jogadores percorrem uma maior distância dentro do campo, numa intensidade mais elevada, em menor tempo comparado a anos atrás. Nas últimas décadas, a distância total percorrida por um jogador numa partida de futebol aumentou significativamente de cerca de 8.500 metros no final dos anos 70, para, algum valor atual em média de 12.000 metros.

No mundo empresarial as coisas não são diferentes, o mercado está mais concorrido e o cliente mais rigoroso. Além disso, há um fator chave bastante valorizado hoje em dia: A agilidade e resposta a mudanças.

Neste cenário a gestão estratégica se torna essencial para alcançar a vitória.

A estratégia ágil como fator decisivo do jogo

Como dito, a estratégia se torna essencial não só para a sobrevivência da empresa, mas como fator de sucesso na vitória do jogo.

Devido a necessidade de aumento de competitividade processos de formulação da estratégia já existe há algum tempo. Dentre eles grandes nomes da história dos negócios criaram sua própria metodologia desde a década de 80, como:

  • Balanced Scorecard (BSC) – Robert Kaplan e David Norton;
  • Hoshin Kanri – Yoji Akao;
  • Gerenciamento pelas Diretrizes – Vicente Falconi;

A realidade é que os modelos possuem a mesma fundamentação, todos originam do conceito de Management by Objectives, em português, “Gestão por Objetivos”. Todas metodologias possuem um sistema completo e robusto no gerenciamento da estratégia, que deve ser aplicado de acordo com a realidade da organização.

Entretanto com o aumento da velocidade da informação nos dias atuais, cada vez mais empresas se deparam com dificuldades em sua implementação, principalmente no ramo da T.I., onde os conceitos de metodologias ágeis estão sendo mais necessárias para o seu ambiente.

Hoje em dia, é impossível definir uma estratégia estática anual e ignorar as tendências  do mercado. O planejamento a longo prazo é necessário, porém a necessidade de um sistema estratégico de curto prazo e alinhá-lo periodicamente com todas as partes da empresa é essencial.

Já imaginou gerenciar sua empresa com uma estratégia ágil?

Sim, isso é possível com uma outra forma de gerenciamento: Os OKRs.

Os OKRs como fator de sucesso

Os Objectives and Key Results (OKRs) é um sistema de gerenciamento ágil da estratégia da organização, criado por Andy Grove, presidente da Intel em 1970. A metodologia é aplicada por inúmeras empresas de sucesso, inclusive por grandes gigantes, como por exemplo Intel, Google, Facebook e LinkedIn.

4 Bridge OKRspptx (1)

Mas qual é a diferença para as outras metodologias?

O conceito é o mesmo: Definir grandes objetivos e desdobrá-los na empresa de maneira efetiva, provocando o alinhamento e sinergia do time. A diferença é que os OKRs são flexíveis às mudanças, levam a simplicidade como essência e devem ser totalmente transparentes para toda organização.

A ideia é simples e eficaz.

Primeiro defini-se onde se quer chegar (Objective) e também como podemos medir se alcançamos aquela meta, esses são os resultados-chave (Key Results). John Doerr trabalhou na Intel e foi responsável pela implantação do OKRs no Google logo no começa da empresa. John é considerado o maior nome dos OKRs hoje em dia, e ele classifica que toda meta deve seguir a forma geral:

Ilustrações OKR (1) - Copia (2).png

No caso do nosso time empresarial de futebol, nosso OKR poderia ser.

1

São inúmeros os benefícios de se utilizar OKRs! Não vamos entrar em detalhes aqui, pois já existem muitos conteúdos sobre o assunto, você pode dar uma olhada no site da Lean Performance: Os benefícios do OKR.

Temos definido o OKR principal da empresa, já é um bom começo?

Sim. Mas de nada vai adiantar se a estratégia não foi desdobrada para o resto do time. Ter só o sonho (visão) é inútil, é preciso difundir a estratégia no meio tático e operacional. Uma forma fácil de visualizar se isso acontece é se perguntar: “Se mudássemos a visão, mudaria o direcionamento dos trabalho nos níveis táticos e operacionais?”.

Se a resposta for não, é porque a organização não aplica um desdobramento efetivo.

A importância de ter o objetivo definido e desdobrado entre o time

Um desdobramento nada mais é que a estruturação de metas dos meios táticos e operacionais que ajudam diretamente o líder a alcançar seus objetivos.

De maneira geral a metodologia indica a criação dos OKR´s pelos próprios colaboradores, ou seja, o que eles consideram importante ter como metas para que seus líderes alcancem seus objetivos e assim a organização atinja também. Aqui já começam a ver como a metodologia traz o colaborador como um atuante fundamental para a empresa realizar seus sonhos, diferente de utilizá-los apenas como realizadores de tarefas delegadas.

Dentro disso o desdobramento pode ocorrer de duas maneiras:

  • Top-down: Quando a origem da meta vem diretamente da orientação do respectivo líder.
  • Bottom-up: Quando o próprio colaborador define sua meta visando o sucesso de seu líder por consequência.

O importante não é pensar qual é o melhor, mas entender que os dois métodos trabalham em conjunto. É necessário compreender as características do ambiente, desdobrar de acordo com as necessidades. E garantir que as metas definidas por todos estão em sincronia para que a organização chegue onde ela quer chegar.

Para definição dos OKRs do nosso time, primeiramente é necessário clarear as partes constituintes, assim como a natureza hierárquica de cada grupo. Neste caso, para fins didáticos, vamos dividir nossa estrutura de equipe em 3 camadas.

j

Assim, de forma estratégica, o time desdobrou seus objetivos, da direção até o jogadores, definindo OKRs para todas as partes.

a
b

c

Neste desdobramento é importante ressaltar alguns pontos.

  • Os objetivos estão fortemente conectados entre si

Geralmente os OKRs são originados da visão da empresa e desdobrados de acordo com a hierarquia da organização. Neste processo, os objetivos acabam se tornando dependentes entre si. Ou seja, primeiramente os atacantes e meio campistas precisam atingir seus OKRs, assim a comissão técnica, junto com suas ações, também fica próxima do resultado desejado. Por fim, a direção finalmente irá conquistar os seus OKRs. Obs: Neste exemplo foram citados apenas algumas partes do time, porém todos jogadores estariam envolvidos.

  • Os OKRs devem ser definidos em conjunto

Seja top-down ou bottom-up, deve haver uma intensa comunicação e transparência no desdobramento dos objetivos. Uma das ferramentas mais interessantes do GPD é o Catchball, um processo de “negociação de metas” entre os níveis da organização. No gerenciamento por OKRs não deve ser diferente, um objetivo não pode ser apenas empurrado abaixo, ele deve ser alinhado com todas as áreas envolvidas.

Por exemplo, imagine que a área Adm/Fin do clube também tenha seus OKRs e um dos resultados chave seja “Fechar o ano com lucro 40% maior”. Porém a área técnica tem outro objetivo que é de “Contratar a maior estrela do futebol brasileiro”. Neste caso, os objetivos entram em confronto e podem ocasionar grandes problemas e falta de alinhamento do time. Assim, é necessário que as duas áreas comuniquem entre si, alinhando melhor todos os objetivos.

Mas e na empresa, como posso aplicar a metodologia?

Certo, vamos parar um pouco de falar de futebol e falar da prática na organização.

Quando se trata de gestão estratégica, podemos dividir o gerenciamento por meio de 3 níveis: Estratégico, Tático e Operacional. A nível estratégico, por meio de análises externas e internas, é estruturado a identidade organizacional da empresa, como a missão, visão, valores e objetivos a longo prazo. O meio tático é resultado da decomposição do planejamento estratégico, porém de forma mais limitada, como por exemplo objetivos dos departamentos da empresa a médio prazo. Por fim, a parte operacional são as atividades diárias da empresa.

Lembra do modelo do futebol?

A divisão também provém dessas 3 partes. Para exemplificar, iremos dividir em Presidência, Líderes e Equipes.

d

Assim, considerando como exemplo a parte de Marketing e Vendas, o desdobramento dos OKRs da empresa poderia seguir a estrutura abaixo.

  e.png

f

g

Assim como o exemplo do nosso clube de futebol, aqui as dicas são as mesmas. É importante construir em conjunto os OKRs com os diferentes níveis da empresa, de modo que todos estejam fortemente conectados no final.

A metodologia é simples na teoria, porém é necessário tomar cuidado, pois cada empresa terá seus tipos de OKRs. É complementamente equivocado apenas “copiar” os objetivos de uma empresa sucesso, achando que irá alcançar grandes resultados.

Para mais exemplos, leia o texto feito pela CoBlue, sobre exemplos de OKR.

Você está preparado para ganhar esse jogo?

Como você já deve ter percebido, assim como os jogos de futebol, o mercado está mais rápido e competitivo. O meio empresarial muda constantemente e apenas organizações ágeis e adaptáveis a mudanças irão sobreviver e alcançar grandes resultados.

Reflita: Os grandes objetivos estratégicos estão conectados com as ações diárias da sua empresa?

Lembre-se, sem metas não há gerenciamento. Os colaboradores da sua empresa podem ficar “perdidos” sem um propósito maior. Grandes projetos podem estar indo para direções opostas da verdadeira visão da empresa.  Esses são apenas alguns exemplos da ausência de um sistema de gerenciamento por objetivos.

Para tudo isso, os OKRs estão muito famosos atualmente por suprirem necessidades no “mundo ágil” de hoje. Sendo uma excelente alternativa para o gerenciamento estratégico ágil.

Então bora praticar a melhoria contínua e ganhar esse jogo! ⚽

Autores do texto:

Matheus Castelo Branco
João Henrique Suleiman

Outras referências importantes:

Resultados Digitais:
OKR: o que é e como a metodologia pode ajudar sua empresa a ter mais resultados

Trello:
Tudo Sobre OKR: Como Definir, Atingir e Acompanhar no Trello

Felipe Castro:
Critérios de sucesso e tipos de KR

CoBlue:
10 benefícios do organograma de OKRs

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s