Trabalhando e viajando – O início do meu projeto de 1 ano na Europa #semana0

Sempre tive o sonho de morar um tempo fora do Brasil e finalmente estou vivendo tudo isso de uma forma diferente e inspiradora.

Quero contar um pouco sobre o início deste projeto.

1

Em 2009, com apenas 15 anos tive a oportunidade de ficar um mês em Vancouver, fazendo aulas de inglês. A experiência foi breve, mas muito boa. Entretanto, percebi que pelo meu grau de maturidade não pude aproveitar ao máximo, sentia que eu precisava crescer mais para usufruir melhor a próxima viagem. Nos primeiros dois anos de faculdade, também tive a oportunidade de me inscrever no programa de intercâmbio Ciências Sem Fronteiras (CSF), e apesar de ser uma oportunidade incrível, decidi não aplicar, pois ainda não me sentia maduro o suficiente.

No último ano da universidade finalmente me senti maduro e preparado para viver um projeto grande como este, porém não havia mais CSF, apenas o programa BRAFITEC para França, que ultimamente está bastante concorrido e demanda um bom nível de Francês. Após pensar muito, e apesar dos auxílios financeiros para estudar, decidi que não queria ficar um ano em uma Universidade na França.

Na realidade eu não suportava mais ficar na sala de aula.

Não tinha mais motivação para acordar cedo. Na maioria das aulas eu contava os minutos para acabar, sem contar que só ia por conta da presença, isso era sufocante.

Você já se sentiu assim?

Eu sou muito grato à faculdade, aprendi e cresci muito com todas as oportunidades, mas infelizmente os métodos de ensino são extremamente ineficazes e desmotivadores. Eu queria aprender “vivendo”, a sala de aula estava me sufocando e os estudos acabaram virando uma tortura, sentia que era muito tempo e energia investido para para pouco resultado. Nao era isso que queria para minha vida.

Minha maior motivação sempre foi expandir minha realidade. É exatamente o que escrevi em meu texto. Às vezes nos sentimos felizes e realizados, porém pode ser uma ilusão, devido a que sua realidade é limitada.

Eu precisava expandir a minha.

A ideia: Viajar o mundo, trabalhando em troca estadia

Conversei com alguns amigos, pesquisei um pouco na internet e descobri que muitas pessoas viajavam trabalhando, em troca de uma cama para dormir e refeições. Fiquei sabendo de um garoto que teve a oportunidade de trabalhar em uma fazenda de Kiwi no interior da Austrália. De cara pensei “Que loucura, nunca faria isso… se for pra trabalhar fora do Brasil, quero um estágio em uma grande multinacional. É assim que vou crescer profissionalmente!”.

Decidi quebrar esse meu paradigma de trabalhar apenas em grandes empresas, hoje em dia tenho uma visão bastante diferente. Aos poucos, fui percebendo que seria uma ótima oportunidade realizar trabalhos variados para “expandir minha realidade”.

2

Eu possuo cidadania e passaporte português, pois meu bisavô nasceu e viveu em Portugal. Após um processo um pouco longo e burocrático, foi possível realizar os documentos para a cidadania europeia. Obs: Eu realmente indico retirar a dupla cidadania se você tem a possibilidade, isso vai facilitar sua vida na hora de viajar (ou quem sabe morar na Europa).

Já ouviu falar de work exchange?

Assim, decidi que meu projeto seria viajar pela Europa por um ano, aproximadamente um mês em cada país. Os principais sites que utilizei para conseguir trabalho foram o Workaway e Worldpackers. O funcionamento é simples, você busca por trabalhos variados como por exemplo em Hostels, Hotéis, bares e até em fazendas, em troca de estadia e outros benefícios. Para quem gosta de trabalhar em fazendas orgânicas, tem o WOOFF também!

1

Carga horário de trabalho

A jornada de trabalho é de aproximadamente 20 horas por semana, com 2 ou 3 dias livres. Pode variar bastante, mas geralmente você ganha em troca estadia e alguma refeição. Por exemplo, o Hostel que estou trabalhando agora em Barcelona, tenho que fazer 28 horas por semana, 2 ou 3 dias livres e em troca ganho estadia, comida, lavanderia e descontos em festas e bebidas, ou seja, basicamente tudo! No próximo texto irei explicar detalhadamente como está meu trabalho por aqui. 🙂

Funcionamento

No Workaway e Worldpackers você pode encontrar milhares de oportunidades de trabalho, porém não pode mandar mensagem para os hosts. Para ter acesso ao serviço completo, é necessário pagar. No Workaway, você investe 30 dólares/ano e pode enviar mensagem para todos os hosts, são milhares de oportunidades ao redor do mundo!

2

3

O worldpackers é um site brasileiro com a mesma ideia, porém com menor número de opções. Eu prefiro, pois é mais organizado e com melhor visual! No Worldpackers, você pode pagar o plano anual ($50/ano) ou pode pagar por viagem confirmada ($30 a $50/viagem), outro benefício é que eles tem suporte 24 horas.

Dica: Caso você não tenha dinheiro, é possível ver os Hostels que estão na lista, fazer uma busca pelo site/Facebook do próprio Hostel e enviar uma mensagem.

Aqui vai um exemplo de trabalho no Worldpackers: Que tal trabalhar apenas organizando festas em Cracóvia (Polônia)??

5

6

Em ambos o sites você faz um perfil como se fosse seu currículo, informando sua história, nível de idiomas, experiências passadas, fotos e lugares visitados. Ao aplicar para uma vaga, você deve deixar claro sua motivação e período de aplicação. Caso o dono do hotel goste de você, ele irá te aceitar.

7

O problema é que não é fácil assim!

Pois as melhores vagas para os melhores lugares são bastante concorridas.

Como obter sucesso na aplicação para as vagas

No início eu fiz uma lista das cidades que mais gostaria de ir e também levando em conta aspectos financeiros. Optei no começo, em trabalhar em Hostels, pois poderia praticar meu inglês e espanhol. Eu escolhia cada oportunidade com muita calma, vendo se o trabalho se encaixaria perfeitamente de acordo com meu perfil e objetivos de viagem.

Mas não estava dando certo.

Eu aplicava para diversas vagas e ninguém me respondia, quando respondiam, diziam que não tinham vagas para o período desejado. A dificuldade de conseguir uma trabalho (por meio da internet) é bastante normal. Geralmente os melhores Hostels recebem MUITAS mensagens e quando você está distante (Por exemplo no Brasil), eles não acreditam que você irá viajar de tão longe para vir trabalhar, ou seja, basicamente acaba sendo mais fácil quando a pessoa está perto do local de trabalho.

Outro grande ponto de influência é o nível de inglês e outros idiomas. Geralmente, não importa se você trabalhou em grandes empresas ou tem um diploma, o mais importante é falar inglês (quanto mais idiomas melhor) e ter tido experiências em trabalhos similares, como Hostels.

Como preparação para este projeto, no início do ano eu trabalhei por quase 1 mês e meio e um Hostel de Floripa, foi uma experiência muito gratificante, pois pude conhecer melhor o ambiente, praticar inglês e espanhol e obter experiência prévia nesse ambiente. Quanto ao meu nível de inglês, não sou fluente mas consigo me comunicar bem, já estudei por vários anos, porém nunca tive a oportunidade de realizar uma imersão por um longo período.

A conquista

Mas mesmo com tudo isso não estava conseguindo trabalho, decidi então aplicar para um grande número de vagas diferentes e aqueles que dissessem sim, eu avaliaria melhor a oportunidade. Assim, depois de muitas tentativas consegui um trabalho em um Hotel de Escalada em uma cidade no interior da Espanha, apesar de ser algo interessante eu queria trabalhar em uma cidade turística. Depois de muitas mensagens (mais de 50 aplicações), um hostel em Barcelona me aceitou!

Não pensei 2x, Barcelona seria minha primeira parada!

4

Aos poucos consegui trabalho para os primeiros 4 meses da minha viagem, todos em Hostels. Ficarei 2 meses em Barcelona, 1 mês em Malta e 1 mês em Budapeste, os trabalhos são variados, como recepção, limpeza e até promotor de festas! Não planejei toda minha viagem pois quero dar oportunidade ao acaso. Ou seja, dependendo das coisas que acontecerem e as pessoas que eu conhecer, posso alterar meu roteiro!

Esses foram os primeiros passos

Tranquei a faculdade por um ano e no começo de agosto/2017 parti para Barcelona! Atualmente estou trabalhando no Hostel e está sendo uma experiência incrível com pessoas muito acolhedoras. Ao longo das semanas irei postar detalhadamente como esta sendo meu trabalho aqui (e meus gastos financeiros).

O objetivo dos meus textos é inspirar pessoas a fazerem o mesmo, e seguirem seus grandes sonhos. 🙂

Mas e o $$$?

Para realizar minha viagem, guardei uma quantia considerável de dinheiro, porém quero usar o mínimo possível e tentar trabalhar horas adicionais para descolar uma graninha.

No próximo texto irei explicar como estou gastando apenas 1 euro (tudo incluso) por dia aqui em Barcelona!

zzCriador do desenvolva-C,
graduando de Engenharia de Produção da UFSC,
Viajante pelo mundo e
apaixonado por desenvolvimento pessoal
fb_icon_325x3251200x630bb

20 comentários sobre “Trabalhando e viajando – O início do meu projeto de 1 ano na Europa #semana0

  1. Vc é o máximo!!! Parabéns por conseguir ir realizando seu sonho. Seu post foi mto inspirador. Com certeza ajudará outros jovens a dar esse mesmo passo.Nem tds tem essa coragem e determinação. Siga sua viagem e curta cada momento. Qdo voltar terá belas histórias para nos contar.Siga em frente e que Deus o acompanhe nessa caminhada.bj enorme.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Muito bacana seu post!! Além da sua determinação mostra a importância do planejamento e do auto conhecimento para identificar o momento certo de iniciar a jornada. Sucesso!!! Bjs

    Curtido por 1 pessoa

  3. Ah que lindo! Tens um espírito que me encanta e conversa muito com meus planos pessoais. Oportunidades como as que tu tá vivendo me surgiram durante um mochilão na América Latina, acabei não assumindo porque precisava voltar, mas ficou a deixa pra um outro momento. Planos não faltam! Porém, tô ficando na Ásia!

    Também tenho um projeto em que compartilho dicas, experiências e aventuras de viagem. É o perfil @delaremlar no Instagram, caso queira conhecer. Grande abraço e ficam desejos de que esse teu um ano fors te surpreenda , e muito, positivamente!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Adorei o texto, muito inspirador! Estou terminando minha faculdade e pretendo fazer o mesmo. Vi que menciona sua cidadania, você poderia me dizer quanto tempo demorou para conseguir?

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oii Leticia, tudo bem?

      A cidadania depende muito das pessoas de sua família que nasceram na Europa e também da situação dos documentos. Para cada país existe um processo diferente. No meu caso, meu bisavô era de Portugal e o processo demorou cerca de 6 meses.

      Eu indicaria buscar mais informações em sites especializados.

      Ate mais!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s